Ações da Prefeitura aumentam volume de reciclagem do lixo deixado nas ruas por foliões no carnaval


Por Clodoaldo Siqueira e Rennan Oliveira

Peculiaridade e miscigenação fazem parte do dia-a-dia do brasileiro, no carnaval não seria diferente. A multicultural metrópole paulistana, que recebe a todos de braços abertos, acompanha um exponencial crescimento de seu carnaval nos últimos anos, seja em atrações, número de visitantes ou mesmo o lixo gerado pelos foliões.

Os últimos três anos tiveram variação no volume de resíduos gerados pelos foliões nos períodos de Pré-Carnaval, Carnaval e Pós-Carnaval. O comparativo entre 2017 e 2018 aponta um crescimento de 67% no volume de lixo, saltando de 640 para 957 mil toneladas de lixo recolhido. Deste total, apenas 1,24% corresponde a materiais reciclados, mantendo o crescimento. A expectativa da Prefeitura Municipal de São Paulo era do recolhimento de 1100 toneladas de lixo durante o período, mas algumas ações e medidas diminuíram o volume de resíduos gerados. Como a instalação de pequenas lixeiras poderia gerar um problema, ao “armar” os populares em caso de brigas, a Prefeitura preferiu distribuir sacos de lixos para os ambulantes, além de proibir a distribuição de brindes em papelão que são descartados pelos foliões assim que os blocos passam. Os números totais não estão fechados, mas a perspectiva é de uma redução de 15% no volume total de resíduos, além de subir a quantidade de materiais reciclados, de 1,24% em 2018 para 50% em 2019.

Até 1990, as escolas de samba da capital desfilavam na Avenida Tiradentes, que em 2019 voltou a se destacar sendo trajeto para o desfile de alguns dos mais de 480 blocos de rua cadastrados junto à administração pública. Inaugurado em 1991, o Sambódromo do Anhembi recebe as escolas de samba, que contribuem para a formação deste volume de lixo no período de carnaval. As mais tradicionais contam com verbas e desfiles de grande porte, mas mesmo assim acabam por não se preocupar tanto. Enquanto isso, as menos conhecidas, como a Unidos de Santa Bárbara, transformam o “lixo em luxo”, como diz o diretor de barracão Marcos Paulo, 28. Elas reutilizam até 80% da matéria prima usada na construção do desfile para os anos seguintes. A partir das parcerias com escolas mais tradicionais como a Dragões da Real, ocorrida em 2019, materiais são cedidos e a contrapartida da Santa Bárbara foi em mão-de-obra, possibilitando “tirar leite de pedra” na organização do desfile, perante os recursos escassos fornecidos pela Secretaria de Cultura às escolas dos grupos de acesso, quando comparados aos do grupo especial.

A estrutura do carnaval foi montada com a expectativa de crescimento de 14% no volume de resíduos e contou com cerca de 1840 agentes e 214 veículos para execução da varrição e limpeza, além da estrutura para as escolas de Samba que possuem a Fábrica do Samba localizada próximo ao Sambódromo, um espaço para construção dos carros e fantasias para os desfiles, porém não acessível a todas as escolas. A Santa Bárbara teve um 2019 especial, pois pela primeira vez os integrantes da agremiação contaram com um barracão de alegorias onde puderam trabalhar, e esse espaço beneficiou o aproveitamento de materiais recicláveis na confecção de suas fantasias e alegorias.

Outra questão que pode fazer a diferença é a educação dos foliões, pois no carnaval de rua, mesmo com os 1900 banheiros químicos disponibilizados pelas Prefeitura, ainda foram aplicadas 244 multas a foliões por fazerem xixi na rua. Multas que acabam não sendo pagas, pois em 2018 apenas 15% das 555 foram quitadas.

#carnaval #reciclagem #bloquinho #sambódromo #santabárbara

Crédito:

Pauteiro: Bruno Martins

Repórter: Rennan Oliveira

Revisor: Luiz Filipe

Fotógrafo: Carlos Alberto

Editor: Clodoaldo Siqueira

3 comentários em “Ações da Prefeitura aumentam volume de reciclagem do lixo deixado nas ruas por foliões no carnaval

  • março 21, 2019 em 1:58 pm
    Permalink

    Parabéns pela matéria, que isso sirva de exemplo para outras escolas, para melhorar cada vez mais a reciclagem

    Resposta
  • março 22, 2019 em 5:13 am
    Permalink

    Acho super importante esse tipo de abordagem, devido ser algo tão “simples” que é dar o destino correto aos resíduos e mesmo assim a galera ainda não tem consciência disso, a nossa casa também é da porta para fora e devemos ter os mesmos cuidados.
    Parabéns pela matéria…

    Resposta
  • março 22, 2019 em 6:10 pm
    Permalink

    Fico feliz em saber que uma ação tão simples como a distribuição de sacos de lixo aos ambulantes tenha contribuído de forma considerável a limpeza da nossa amada cidade, nesse período de lixo em volume exorbitante e falta de educação dos foliões ainda maior. A alegria aumenta em saber que o descarte dos resíduos tenha sido feito de forma consciente, contribuindo ao meio ambiente com a reciclagem e a mesa de algumas famílias já que o país não se encontra na sua melhor fase.
    Gostaria de aproveitar o espaço e parabenizar a escola de Samba Santa Bárbara que em sua pequenez se faz grande com essa atitude de reinventar seu espetáculo com o reaproveitamento dos materiais e o grupo que nós trouxe a informação!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *