Professores protestam contra a reforma da previdência

por Gabrielle Cesaretti

No dia 28 de fevereiro o governador do estado do Maranhão, Flávio Dino, anunciou através de seu twitter que estaria elevando o salário inicial dos professores que trabalham 40h/aulas semanais para R$5.750,00. Desde que Flávio Dino assumiu o posto de governador em 2015 ele já ofereceu aos professores do Maranhão um reajuste de 30,35%.

Enquanto isso, na quarta-feira dia 14 de março, professores da rede municipal de ensino de São Paulo protestaram contra a reforma da previdência de servidores municipais. O protesto ocorreu em frente à Câmara Municipal em torno das 14h. A reforma proposta pelo prefeito João Dória era de aumento na alíquota básica, de 11% para 14%. Segundo a tabela de contribuições do INSS publicada pela Previdência Social, o recolhimento deve ser de 11% para salários de R$2.765,67 até R$5.531,31.

Professores da rede municipal de ensino protestam contra a reforma da previdência proposta pelo atual prefeito João Dória./Foto por Luciana Monteiro

Gestão Dória

Em outubro de 2016, João Dória foi eleito prefeito de São Paulo com 53,29% dos votos. No dia 12 de março, anunciou que deixará seu cargo para se pré-candidatar a governador do estado de São Paulo. Durante sua gestão, foram realizados dois ajustes salariais, que por lei são obrigatórios todo início de ano. O primeiro foi feito em 2017, que passou de R$2.135,64 para R$2.298,80.

Reajuste salarial

Por lei, o reajuste salarial deve ser feito em janeiro, segundo a Lei do Piso de 2008. Nessa época, em janeiro de 2009, a lei definiu que o piso salarial dos professores da rede pública de ensino seria de RS950 para aqueles professores que trabalham 40 horas/aulas semanais.

Em dezembro de 2017, o ministro da educação, Mendonça Filho, anunciou o reajuste de 6,81% no piso salarial dos professores da rede pública. O valor mínimo recebido pelos professores que cumprem a jornada semanal de 40 horas será de R$2.455,35.

Comparativo salário dos professores

A maior concentração de professores se encontra na rede municipal de ensino(49%). Enquanto na rede federal, a concentração de professores é menor, com apenas 1%. Essa desigualdade se dá porque a rede municipal de ensino concentra uma demanda maior.

piso-salarial-professores
Confira no infográfico acima o crescimento do piso salarial dos professores da rede pública municipal da cidade de São Paulo ao longo dos anos.  Infográfico: Jadson de Almeida Veloso
Edição: Stefannie Maia; Pauta: Fábio Henrique Saraiva; Reportagem/Redação: Gabrielle Cesaretti; Fotografia: Ana Claudia Souza/Luciana Monteiro; Revisor: Thiago Arantes; Multimídia: Jadson de Almeida.

2 comentários em “Professores protestam contra a reforma da previdência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *