Agência Universitária de Notícias realiza palestra sobre o desenvolvimento do jornalismo no mundo online

Mesa-redonda, realizada no campus Liberdade da Universidade Cruzeiro do Sul, contou com  a presença de jornalistas que encontraram novos meios de produzir notícias no meio digital.

Por Carlos Soares

Com o avanço da tecnologia, os meios de comunicação foram surpreendidos com um novo desafio, o de adaptar-se à Internet. Em meio à produção e divulgação de notícias, o jornalismo tradicional teve de se acostumar com o espaço que uma nova modalidade foi conquistando ao longo dos últimos anos, o chamado jornalismo online.  Através do conceito de estabelecer um inovador pacto de comunicação com o leitor, essa tendência busca aproximar ainda mais o público das informações que acontecem ao seu redor e fazer com que cada um perceba o papel importante que possui na sociedade.

Durante o evento, no dia 7 de maio, o assunto foi debatido e colocado em pauta numa mesa-redonda que contou com a presença dos jornalistas Conrado Corsalette, Rita Lisauskas e Clarissa Passos. Profissionais que possuem identificação com o mundo online pelo fato de trabalharem na divulgação e produção de textos e notícias, através de sites, blogs e redes sociais. O que qualificou bastante a interação com a plateia, que durante o bate-papo também expôs suas dúvidas e opiniões.                       

Ao longo da noite, assuntos importantes a respeito do jornalismo online foram discutidos, fazendo com que os jornalistas convidados, baseados no conhecimento em suas áreas de atuação, explicassem suas experiências de forma aprofundada.

Quando perguntada sobre o seu trabalho na interação do jornalismo online com as redes sociais, Clarissa Passos, editora do BuzzFeed, disse que esse é o ponto central do trabalho desempenhado no núcleo de criação da empresa, cujo está em produção de conteúdo e distribuição nas redes sociais. Outro tópico levantado durante a palestra, foi a propagação das fake news Para Clarissa, existem pessoas e empresas especializadas e dedicadas à produção de notícias falsas. “A melhor forma de combater as fake news é trazendo essa conversa para o centro das ‘Real News‘, das mídias sérias.”

Possíveis formas de lidar com haters foi outro fator discutido durante a noite. Para Conrado Corsalette, cofundador e diretor do Jornal Nexo, em relação ao público que faz comentários mais ofensivos na hora de expor opiniões, é necessário fazer uma intermediação mais presente. “Damos a oportunidade dessas pessoas refazerem seu comentário, reformulando algumas frases e acrescentando argumentos coerentes, pois para nós a opinião do leitor é importante.”

O fato de a Internet estar mais presente na vida das pessoas, cada vez mais cedo, dá abertura para uma reflexão a respeito de maneiras de inserir o acesso a esse meio de comunicação de um jeito que todos tenham o conhecimento necessário sobre seus benefícios e também seus perigos. A blogueira do Estadão e comentarista da Rádio Eldorado Rita Lisauskas defende que a educação sobre o mundo online deve ter início na infância, tanto em casa quanto na escola. Ela considera que existem limites sobre o que deve, ou não, ser explorado nas redes e quais a melhores formas para isso. “A Internet não é terra sem lei”, completou.

Réporter/Redator: Carlos Soares
Fotos: Maitê Brandão

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *