Troca de figurinhas agita a cidade de São Paulo

Uma paixão de infância, tradição de família. Procurar por bancas de jornal, contar as moedas, colar figurinhas uma por uma e fazer amizades conhecendo pessoas novas através das trocas. A expectativa desses prazeres e em ter a coleção completa mais uma vez vem à tona no lançamento do álbum de figurinhas da Copa do Mundo de 2018. E agora, junto com as figurinhas, estão também de volta os tradicionais pontos de encontro para as trocas de repetidas, sendo um dos mais importantes, movimentados e emblemáticos o Museu de Arte de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista, onde um grande número de colecionadores se reúne nos finais de semana para realizar as trocas.

Crianças e adultos se divertem realizando as trocas, lotando o vão do Masp nos finais de semana.

Pessoas de várias idades e gerações, de todas as regiões da cidade, se divertem nesse hobby, desde o pequeno Pedro, de 11 anos, que está em seu segundo álbum, até Fernando, de 60, que está empenhado em completar para seu filho de 14 anos, que mora no interior, o terceiro álbum. Outros nem sequer gostam de futebol ou Copa do Mundo, mas se divertem em trocar e colar os cromos, como Dandara, de 14 anos, que coleciona álbuns de diversos assuntos, mesmo criticando o investimento no evento.

Diversidade de idade é constante nos pontos de troca.

Há também quem compareça não por diversão, e sim por trabalho, como José, dono da Wancards coleções, que tem o maior índice de lucro justamente na época de Copa. O vendedor comercializa os álbuns e figurinhas de edições anteriores e também os cromos individuais para quem tem dificuldade em encontrar um número específico. Isso ajuda bastante os colecionadores, mas acaba inflacionando o valor dos cromos, que são vendidos por até R$5, sendo que o valor normal é de R$0,40, o que já é bem acima do valor das últimas Copas, sendo o dobro da de 2014 por exemplo.

Alguns vão para trocar e outros para fazer um dinheiro a mais.

Os colecionadores vão gastar muito mais neste ano do que nos últimos campeonatos. É que, além do aumento no preço do pacote de figurinhas e no álbum, o livro agora terá 682 figurinhas e não mais 640, como na edição anterior. A edição deste ano é a 13ª produzida pela Editora Panini, que tem parceria com a Fifa desde 1970. Só para o Brasil, a tiragem inicial dos álbuns foi de 7 milhões. Desde o início de março, vêm sendo produzidos diariamente 8 milhões de pacotes de figurinhas em Barueri, onde fica o parque gráfico da empresa que atende toda a região da América Latina.

Aumento na quantidade e nos preços das figurinhas
Editor: Ítalo Miyahara
Fotógrafo: Lucas Sampaio 
Repórter: Luiz Augusto Camargo
Pauteiro:  Marcos Junior 
Planejamento Multimídia: Victor Hugo Granjeia
Redes Sociais/Revisor: Yan Fernandes 

4 comentários em “Troca de figurinhas agita a cidade de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *