Jogos eletrônicos: quando a diversão e a profissão se encontram

O Campeonato Internacional de Futebol Online 2018 será realizado nas cidades de São Paulo e Paris.

 

Por Jonderson Santos Cunha

 

A ESWC (Electronic Sports World Cup) organizará um torneio de futebol online de FIFA 2018, com etapas em São Paulo e Paris. O torneio reúne jogadores de todo o mundo, porém 32 serão selecionados para disputar o prêmio de US$ 20 mil, que será dividido entre os três melhores. A fase jogada em São Paulo acontecerá nos dias 28 e 29 de abril e será responsável por selecionar 16 jogadores para disputar o grande prêmio com os outros competidores selecionados na fase parisiense.

Além da oferta do prêmio em dinheiro, o torneio proporciona benefícios como o status no mundo dos jogos, viagens para os vencedores, oportunidades de disputar campeonatos importantes ao redor do mundo e troféus que representam muito para quem pratica o e-sport.

 

e-Sport

O e-Sport, ou esporte eletrônico, é uma modalidade de competição profissional com videogames que já não é uma novidade no ambiente tecnológico, pois cresce a cada ano com jogos de grande sucesso comercial, como o League of Legends, Counter Striker, entre outros.

O League of Legends (LoL) World Championship é o campeonato internacional de games mais famoso da atualidade. Organizado pela empresa americana Riot Games, o torneio ocorre uma vez ao ano com as equipes batalhando pela Taça do Invocador e pelo prêmio de aproximadamente US$ 1 milhão. Os times de todo o mundo são formados por no máximo seis pessoas, e podem incluir jogadores de diferentes nacionalidades. O sucesso do evento já garante transmissões ao vivo de emissoras de televisão aberta e por assinatura, como SporTv, Esporte Interativo etc. Além disso, inúmeros canais no Youtube compartilham o campeonato com o mundo inteiro, envolvendo o apoio de grandes patrocinadores.

 

Diversão rentável

Parece mentira, mas é, sim, possível se divertir e ganhar dinheiro, jogadores de LoL e Counter Striker, que o digam. Adolescentes de diversas idades movimentam grandes cifras brincando literalmente, ou seja, jogando videogame. Mas, por trás desse sonho aparente, existe também um mercado extremamente profissionalizado. Um gamer pode ganhar até US$ 30 mil (o equivalente a R$ 68 mil), o que envolve muita responsabilidade e disposição para o treinamento. É necessário investir em bons computadores, possuir um pacote de internet que garanta segurança e velocidade no acesso e reunir uma equipe muito bem preparada para auxiliar os jogadores.

A configuração mínima para jogar LoL, por exemplo, envolve um sistema operacional com Windows XP/ Windows Vista/ Windows 7/ Windows 8/MAC; um processador 2.0 GHz; Memória RAM de 1Gb (Windows XP) /  GB (Windows Vista / Windows 7 / Windows 8); Pixel Shader: 2.0; DirectX: 9.0c; espaço em disco rígido de 2 GB.

 

Brasil é o 13º no ranking

A NewZoo, que reúne dados sobre jogadores no mundo todo, aponta que o Brasil está em uma colocação razoável em relação a jogadores pagos, ocupando a 13ª colocação. O streamer e gamer Luiz Felipe Ferraresi de Mesquita, mais conhecido como ‘’Shin’’, o nerd de Porto Alegre, fã e louco por LOL – como ele se apresenta no Facebook, afirma que “é maravilhoso poder não só jogar, mas também ter a possibilidade de estar na pele do avatar fazendo seu trabalho”. Para ele, é importante se destacar na comunidade virtual, trocar informações no jogo e ter condições de melhorá-lo. “Eu sempre fui nerd nesse tipo de jogo, presenciei pessoas que ficaram logadas durante dias, trocaram sono para se dedicar e viraram jogadores profissionais. A maneira como isso virou global hoje é algo surreal. Sem dúvida, é gratificante”, diz o gamer.

 

valores convertidos do Dólar na cotação do dia postado.
Pauta:Pedro Henrique
Revisão: Nayara Jaqueline
Infográfico e imagem: Marcos Vinicius Kray
Edição: Jean Carlos Gonçalves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *