FIES: Fundo Estudantil enfrenta problemas para realizar inscrições

Crise no MEC traz complicações ao sistema de financiamento.

Por Gilson de Azevedo

Neste semestre, os alunos que utilizam o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil) tiveram dificuldades em finalizar o processo de matrícula. Isso ocorreu devido a uma falha no sistema, que impedia a troca de informações entre o agente financeiro e o governo, dessa forma não era possível realizar o término da matrícula.

Essa é a terceira vez que o MEC (Ministério da Educação) prorroga a data para a realização da inscrição junto às faculdades e universidades. Agora o prazo é 12 de abril, segundo matéria publicada no site do ministério no dia 4 de abril. Além disso, anunciaram que o problema de aditamento no sistema de inscrição já foi resolvido.

Este problema ocorre em meio a uma crise no Ministério da Educação. Nos três primeiros meses da gestão de Ricardo Vélez, o ministério acumulou diversos problemas. Entre eles, destacaram-se os casos da falência da empresa que fazia as impressões da prova do ENEM, o pedido inconstitucional de filmagem de crianças em escolas cantando o Hino Nacional, a declaração de que os brasileiros não se comportam no exterior e outros problemas. No último dia 8, o ministro foi demitido e Abraham Weintraub assumiu a pasta e seus desafios.

A importância do Fies

O Fies é um sistema de financiamento que sempre ajudou muitos estudantes a ingressarem nas universidades, principalmente aqueles que não têm condições de pagar as mensalidades. “Foi o único meio que encontrei de fazer a minha graduação, pois não tinha condições de pagar. É uma forma de realizar o curso e depois quitar quando estiver trabalhando”, comenta Claudia Ferraz, estudante da Faculdade de Medicina de Catanduva.

Com a crise do Ministério da Educação, muitos estudantes que estavam fazendo a inscrição não puderam concluir, devido ao problema no aditamento do processo. O governo federal deveria enviar as informações ao agente financeiro, mas isso não aconteceu. “Não consegui terminar o processo no banco, apesar de ter realizado todo o trâmite na internet”, acrescenta Claudia.

Erros com o sistema de inscrição não estão acontecendo só neste ano. Muitas pessoas já enfrentaram dificuldades em outras edições do Fies. “Desde que comecei, sempre tive problemas. Em 2015, no processo de entrada dos documentos, faltava apenas gerar a declaração através do site, com isso não conseguia terminar a minha inscrição, pois o site apresentava erros”, afirma Victória Prates, estudante de Medicina da Universidade de Mogi das Cruzes.

No entanto, existem alunos que em nenhum momento tiveram complicações com os processos de inscrição e renovação do Fies. “Comecei a usar o financiamento desde o início, já estou no 9º semestre. E não tive nenhuma falha com o meu financiamento estudantil”, diz Bruno Aliaga, estudante de Engenharia Elétrica da Universidade Cruzeiro do Sul.

Para levantar o modo como o impasse político em torno do MEC estava impactando a gestão do Fies, a AUN entrou em contato com parlamentares do Partido Social Liberal (PSL), partido do atual Presidente da República, mas até o momento da publicação desta matéria não recebemos respostas.

Evelyn Moraes – Pauteira

Gilson de Azevedo – Repórter

Gustavo Texeira – Fotógrafo

Kimberly Ferraz – Editora

William Fiengo – Revisor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *