Mão-Pé-Boca: conheça os sintomas do vírus que ainda não tem vacina

Mão-Pé-Boca, ou HFMD (sigla em inglês) é uma enfermidade contagiosa causada pelo vírus Coxsackie, cuja família habita o sistema digestivo, podendo causar estomatite. A doença, embora seja mais comum na infância antes dos cinco anos de idade, também pode atingir os adultos, assim como aconteceu com a nossa entrevistada, a Analista de Operações Jamile Ataide Virgolino, 35 anos, que contraiu bolinhas na boca por causa do vírus que sua filha Laís, de 2 anos, tinha contraído.

 A transmissão se dá pela via fecal/oral, através do contato direto entre as pessoas ou com as fezes, saliva e outras secreções, ou por meio de alimentos e objetos tocados pela pessoa contaminada. Segundo os médicos, os sintomas mais comuns são:

  • Febre alta;
  • aparecimento na boca, amídalas e faringe de manchas vermelhas com vesículas branco-acinzentadas no centro que podem evoluir para ulcerações muito dolorosas;
  • erupção de pequenas bolhas em geral nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, mas que pode ocorrer também nas nádegas e na região genital.

 

               Mesmo depois de recuperada, a pessoa pode transmitir o vírus pelas fezes durante aproximadamente quatro semanas. Em geral, como ocorre com outras infecções por vírus, ela regride espontaneamente depois de alguns dias. Por isso, na maior parte dos casos, o tratamento é com antitérmicos e anti-inflamatórios, como aconteceu com a Laís, filha da Jamile, com repouso, anestésico para boca e antitérmicos.

                 É muito importante estabelecer o diagnóstico diferencial com outras doenças que também provocam os mesmos sintomas. Segundo a Jamile, o primeiro sintoma da Laís foi febre alta de 39.5° por dois dias seguidos, o que fez com que ela a levasse ao médico, onde ocorreu o diagnóstico de Mão-Pé-Boca. Em alguns casos, os exames de fezes e de sangue podem ajudar a identificar o tipo de vírus causador da infecção.

         A melhor maneira de se prevenir é o velho hábito de sempre lavar as mãos, principalmente das crianças que têm mais facilidade por colocar as mãos na boca, e estarem em contato com outras crianças no ambiente escolar.

 

Créditos:

Matéria: Camila Menezes

Infográfico por: Liliane Sthefane

Pauteiro: Melissa Mendes

Editor: Beatriz Ferreira

Revisor: Michael Dias

Multímidia: Pedro Henrique

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *