Senado reconhece vaquejada como manifestação cultural

Por: Marta Miranda e Andressa Aguilar

Após decisão polêmica do STF (Supremo Tribunal Federal), que considerou a prática inconstitucional, o Senado reconheceu, nessa terça-feira (01/11), a vaquejada como manifestação cultural. Esse parecer aconteceu, em partes, pelos protestos em favor da vaquejada organizados em Brasília no último dia 25. Para que o projeto seja realmente aprovado ainda precisa ser sancionado pelo Presidente da República, Michel Temer.

A atividade que acontece no nordeste do país se resume em dois vaqueiros montados em cavalos tentando derrubar um boi entre duas faixas de cal puxando-o pelo rabo, o que configura tortura na visão do STF, já que, muitas vezes, os animais envolvidos nesse evento adquirem sequelas irreversíveis, podendo até quebrar ossos e perder parte do rabo.

Os defensores da vaquejada desejam regularizá-la, e afirmam que o evento além de ser importantíssimo para a cultura nordestina, movimenta cerca de R$ 700 milhões por ano e geram 750 mil empregos, e caso seja proibida fará uma grande falta para a população e economia da região.

Mesmo depois da decisão do Senado, o julgamento feito pela Suprema Corte prevalece. A ABVAQ (Associação Brasileira de Vaquejadas) afirma que recorrerá contra a sentença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X

Pin It on Pinterest

X