38º Prêmio de Anistia e Direitos Humanos

Por: June Hellen e Giovanna Lima

A premiação homenageou o jornalista assassinado Vladimir Herzog durante a ditadura militar e a democracia

No dia 25 de Outubro, ocorreu o 38º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, instituído em 1978, um dos mais renomados prêmios da área. O evento contou com a presença de diversos jornalistas como: Caco Barcellos, Cleber Machado, Elvira Alegre entre outros.

A premiação prestigiou oito categorias da comunicação, e os vencedores foram: Arte – O jornal da tribuna do norte com o trabalho “Monstro”, Fotografia – André Lucas Almeida do Brasil Post com o trabalho “Repressão Policial contra secundaristas”, Internet – Natalia Viana e equipe da Agência Pública com “Especial 100”, Jornal – Leonencio Nossa e equipe do Estado de S. Paulo com “Terra Bruta”, Rádio – Michelle Trombelli e equipe da Rádio BandNews FM com “Especial 10 anos – Lei Maria da Penha”, Revista – Nathan Fernandes e equipe da Revista Galileu com “O bandido está morto agora?”, Documentário de TV – Débora Brito e equipe da TV Brasil com “Mulheres do Zika”, e Reportagem de TV – Caco Barcellos e equipe da TV Globo com “Chacina em Osasco”.

Em entrevista à Agência de Notícias Código On, Audálio Dantas comenta sobre a importância do prêmio na área: “O primeiro prêmio foi instituído ainda durante a ditadura, e foi um marco na história do jornalismo no Brasil, porque homenageava o jornalista, mas ao mesmo tempo era uma referência a um episódio que marcou um ponto de partida da queda da ditadura militar”, e finaliza afirmando: “Posso dizer com certeza que é o prêmio jornalístico mais cobiçado na categoria.” Audálio foi Presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo quando ocorreu o assassinato do jornalista Vladimir Herzog.

Profissionais da área e estudantes de vários locais prestigiaram a premiação. O estudante Giovani de Souza demonstrou a alegria e a importância em participar do evento, “A repressão foi um marco histórico e precisamos relembrar, estar aqui é muito importante hoje” disse o jovem que estava acompanhado pela Professora de Comunicação e Jornalista, Ana Bambilla que também comentou a importância do prêmio da noite, “A premiação tem um papel muito importante na medida em que reconhecemos a qualidade de determinados trabalhos e estimulamos a concorrência interna, para que a própria categoria se mobilize e busque fazer trabalhos cada vez melhores. Esse prêmio é uma tradição e uma referência de inspiração boa ao jornalismo.” A mesma comentou que apesar da crise, o momento é ideal para o jornalismo se renovar, “Essa crise é excelente para apontar caminhos com mais relevância e viés a comunicação atual”.

O Prêmio Vladimir Herzog em sua 38º edição se mantém fiel ao propósito de reconhecer o trabalho de jornalistas que contribuem na defesa da democracia, da cidadania e dos Direitos Humanos e Sociais.

Audálio Dantas participa da premiação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X

Pin It on Pinterest

X